Sem gestão, não há solução - Ultracar – Sistema de gestão completo para oficinas automotivas

Sem gestão, não há solução

História de luta e sucesso da Vettura Soluções Automotivas | Jornal Oficina Brasil

Chegamos ao fim da nossa série de relatos sobre oficinas empreendedoras que venceram grandes obstáculos após implantar uma estratégia de gestão eficiente, tornando-se exemplo de boa administração e sinônimo de prosperidade!

Durante nove meses, colhemos diversos relatos de proprietários de oficinas, os quais apontaram os piores problemas enfrentados ao longo de suas trajetórias: o descompasso entre emoção e razão; a desorganização da estrutural; a dificuldade em dominar novas tecnologias; os conflitos familiares; a ausência de sistemas administrativos e acima de tudo a má gestão. Em todas as histórias, vemos que a administração é o cérebro de uma empresa, pois representa um conjunto de ações e estratégias que norteiam e garantem o tão almejado sucesso.

Todos os proprietários aqui entrevistados tinham uma característica em comum, o amor pela reparação. Apesar de sólido e verdadeiro, esse sentimento não era o bastante para garantir a prosperidade da oficina. André Piazi dos Santos, carioca de 44 anos, porém residente em Dourados, Mato Grosso do Sul, sabe bem do que estamos falando.

Desde criança, era curioso, buscava entender a lógica de todas as coisas ao seu redor. Seu tio, um engenheiro mecânico que atuava na área naval, costumava levá-lo ao trabalho a fim de apresentá-lo o fascinante universo da engenharia mecânica. Piazi ouvia atentamente as explicações de seu tio, e afirma que foi naquele momento, que nascia sua paixão pelo setor mecânico.

gestão na oficina vettura

Depois de alguns anos, seu tio decidiu investir em uma oficina. André, então, começou a passar grande parte do seu tempo observando a dinâmica das atividades realizadas no local e auxiliando seu tio em alguns concertos. Estar por perto de todos os processos mecânicos significava uma grande oportunidade para desenvolver habilidades e conseguir realizar diagnósticos assertivos, entendendo os problemas mais complexos que chegavam na oficina.

Como a vida é feita de impermanências, chegou o dia em que a oficina de seu tio fechou as portas. Apesar dessa triste notícia, seu interesse pela mecânica continuou inabalado, tanto que seus pais pediram para um amigo, dono de oficina, deixasse André frequentar o estabelecimento durante as férias, e relembra:

“Naquele período aprendi muito. Eu buscava por conhecimento, então vazia várias perguntas para o meu tio Zé. Ele me ensinou muito, além disso me auxiliava a fazer alguns reparos. Quando fui para esta nova oficina, e esse amigo da minha família sempre se mostrava empenhado em sanar minhas dúvidas e me ajudou muito também. Nesta nova oficina, o proprietário perguntou se eu poderia executar um serviço, imediatamente respondi que sim. Comecei com o pé direito, pois consegui concluir o trabalho com sucesso. Tinha apenas 12 anos, e lembro que naquele momento com muito carinho, uma emoção surreal, nem sei explicar”.

Após a realização desse serviço, André começou a se dedicar por inteiro aos estudos sobre reparação automotiva. Ele tornou-se cada vez mais fascinado pela possibilidade de colocar em prática tudo que havia aprendido, e, sobretudo, aproveitar o período de férias para fazer o que mais amava.

Contudo, a vida, em certas ocasiões, indica caminhos bem diferentes do que imaginávamos trilhar. Apesar do seu amor pelo setor automotivo, ao final do ensino médio, André decidiu ingressar no curso técnico de Informática e de Administração de Empresas. Durante 15 anos dedicou-se a esta a área de tecnologia, entretanto não o quê sonhava parta sua vida.

André relembra: “Trabalhei com tecnologia, fiz cursos e me dediquei totalmente a essa profissão. Mas eu gostava de carros e da capacidade de poder consertá-los. Era uma felicidade enorme, estava em meu DNA. Comprei ferramentas por conta própria e comecei a consertar os carros de alguns amigos e familiares”.

Quando o amor fala mais alto

Aos 37 anos, André conheceu sua esposa, Simone Braga. Ela nascida e criada no Mato Grosso do Sul, ele do Rio de Janeiro. Após a consagração matrimonial, juntos, resolveram morar em Dourados como a possibilidade de um recomeço. André notava uma completa mudança em sua vida, pois até então vivia com os pais e trabalhava no setor de tecnologia. Agora partiria para uma nova cidade com a pessoa no qual escolheu viver para o resto de sua vida. Diante dessas mudanças, decidiu que também era o momento de trabalhar com o que fazia bater mais forte o seu coração, a reparação automotiva.

Afirma André: “Minha vida estava mudando completamente e, como tinha algum dinheiro guardado, vi que aquele era o momento certo para ter minha oficina. Já que ia me mudar para Dourados, pensei: É lá que vou realizar o sonho de ter minha oficina. Eu sempre falava que quando me aposentasse iria abrir minha oficina, mas eu pude concretizar meu sonho muito antes”.

andré na oficina vettura

Decidido sobre as mudanças de sua vida, André se entregou de corpo e alma aos estudos sobre mecânica avançada. Seus pais sempre o incentivaram a seguir seus sonhos. Com isso, eles ajudavam a comprar ferramentas e equipamentos para se aproximar, cada vez mais, de seu verdadeiro desejo.

Antes de abrir a oficina, André tinha consciência que era preciso implantar um modelo de gestão empresarial. Então, pesquisou algum sistema que pudesse garantir o sucesso pretendido. Assim, conheceu a Ultracar, uma empresa que desenvolveu um sistema capaz de organizar, planejar e otimizar a administração de sua oficina. De imediato ficou encantado ao tomar conhecimento da existência de um software de gestão tão completo.

O suporte da Ultracar, bem como a consultoria do IAA – Instituto da Administração Automotiva, foram de extrema importância para Piazi. Essa combinação foi crucial para o sucesso da empresa, e ressalta: “Quem deseja abrir uma empresa e não procura informações sobre gestão, acaba cometendo um grande erro. Eu não entendia nada a respeito desse assunto, apenas tinha experiência com conserto de carros. Fábio Moraes me ajudou muito durante o processo de abertura da oficina. Eu recebi a consultoria que precisava e aprendi muito”.

André viu a oportunidade de adquirir conhecimentos específicos sobre administração de oficina. De acordo com o Piazi, a ajuda da Ultracar foi fundamental para construir um futuro saudável para a sua oficina.

Comenta André: “Quando você deixa de ser funcionário para virar patrão, a coisa complica uma pouco, por isso precisamos tomar cuidado. Contudo, alcançar a posição de dono de oficina é incrível. Claro que enfrentamos algumas adversidades, mas trabalhar com o que se ama é indescritível!”

Oficina mecânica é um bom negócio, mas é preciso saber administrar. Por meio de uma boa gestão é possível garantir o futuro de sua empresa de forma saudável e lucrativa. Antes mesmo de abrir a Vettura Soluções Automotiva, André fez questão de contar com um suporte que lhe orientasse a como trilhar o caminho da gestão.

Antes de abrir sua oficina ou caso você esteja passando por algum momento difícil, converse com a Ultracar. Eles estão preparados para evitar que seu sonho se transforme em um tenebroso pesadelo. E jamais esqueça, sem gestão não há solução.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.