Quantos funcionários você deveria ter na sua equipe? - Ultracar – Sistema de gestão completo para oficinas automotivas

Quantos funcionários você deveria ter na sua equipe?

Você sabia que existe um número de funcionários ideal para ter em sua oficina? Pois é, essa é mais uma coisa que você, gestor, precisa tomar cuidado e decidir estrategicamente pensando no desenvolvimento do seu negócio.

Seja para demitir ou contratar funcionários, existem alguns critérios objetivos que precisam ser seguidos, tanto para melhorar a qualidade do trabalho realizado no seu galpão quanto para equilibrar as finanças da oficina.

Vamos ver cada um destes critérios? Continue a leitura e anote os principais pontos!

Necessidades reais da oficina

A primeira variável que precisamos olhar é com relação às necessidades da oficina. Basta olhar para o seu galpão e responder às seguintes perguntas:

Caso essas perguntas sejam respondidas com um “sim”, então é provável que você precise de mais alguém ajudando no galpão.

Contudo, existe também um lado negativo, que não podemos esquecer. Nesse caso, algumas perguntas vão ajudar você a perceber se precisa demitir alguém ou se sua oficina está no equilíbrio entre volume de trabalho e pessoas contratadas. São elas:

  • sua equipe está ociosa?
  • mais de um funcionário está realizando o trabalho que uma única pessoa poderia fazer?
  • existe espaço e equipamento para atender mais carros em sua oficina?

Nesse caso, se as respostas forem positivas elas indicam que talvez seja necessário conduzir alguma demissão, ou encontrar formas de aumentar a receita de seu negócio.

Plano de negócio

O plano de negócios da sua oficina também é outro fator determinante para definir quantos funcionários ter. Dependendo da estratégia adotada você precisará de equipes mais ou menos enxutas.

Logo, é imprescindível que você, gestor, olhe para o futuro, entenda onde quer chegar com sua oficina e depois crie um plano de crescimento levando em consideração as contratações e demissões necessárias em cada período.

Espaço físico

Essa parte é bastante simples, e por isso mesmo ignoramos ela. Mas diga, pensando rapidamente: cabem mais pessoas trabalhando na sua oficina? Alguns galpões podem ficar muito “apertados” com o acréscimo de mais uma pessoa na equipe.

Dê uma olhada na área de trabalho e considere se seus colaboradores têm o espaço necessário para trabalhar confortavelmente (além de peças, ferramentas e maquinário).

Cálculo de despesas fixas

Cada funcionário contratado gera um valor X de despesas fixas por mês. Isso significa que cada pessoa que sua oficina contrata precisa produzir, no mínimo, o suficiente para cobrir o próprio salário, encargos e parte dos gastos variáveis do negócio.

Assim, outro crivo para entender se vale a pena fazer uma contratação é o dinheiro. Sua oficina tem capacidade produtiva para receber serviços o suficiente para que mais uma pessoa trabalhe aí?

Plano de capacitação

Para que todos da sua equipe estejam alinhados, é importante realizar treinamentos e reciclagens ciclicamente. Isso gera um ótimo retorno com os clientes e com a qualidade do serviço, mas também traz um custo a mais.

Então, será que sua oficina consegue oferecer capacitação para mais uma pessoa?

Bom, para entender melhor sobre essa capacitação, e até mesmo sobre o planejamento e os impactos desse processo na rotina do seu negócio, sugerimos que leia um conteúdo nosso que ensina a como criar um planejamento estratégico de treinamento na oficina.

Enquadramento da empresa

O porte da empresa também delimita a quantidade de funcionários que você pode ter. É importante ter cuidado com relação a isso para continuar usufruindo dos benefícios do seu regime fiscal.

Por exemplo: se você é MEI e tem o benefício do Simples Nacional, significa que sua alíquota (percentual do imposto a ser pago) é unificada. Em contrapartida, o faturamento máximo para esse regime tributário é R$ 81.000,00 por ano, e o número máximo de funcionários é 1.

Outros portes de empresa respondem a restrições diferentes. De acordo com o IBGE e SEBRAE a divisão fica assim:

  • Microempresa ME: até 9 empregados;
  • Empresa de Pequeno Porte (EPP): de 10 a 49 empregados;
  • Empresa de Médio Porte: de 50 a 99 empregados;
  • Grandes Empresas: 100 ou mais empregados.

Legislação trabalhista e Pessoa Jurídica

Outro cuidado a ser tomado é com relação à Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). Dependendo do tipo de serviço que precisa ser feito na sua oficina você terá que decidir se vale mais a pena contratar uma pessoa no regime CLT ou no regime de Pessoa Jurídica (PJ).

Já fizemos uma publicação em nosso blog explicando essa diferença — você pode lê-la clicando aqui —, mas de maneira resumida: a contratação pela CLT é mais estável, mas menos flexível e mais onerosa que a PJ.

Desse modo, a contratação em PJ abre uma gama de opções que você pode explorar para melhorar o serviço da sua oficina, mas sem precisar contratar alguém para trabalhar em tempo integral.

Como um dos fatores para uma nova contratação é a parte financeira, recomendamos que leia nosso conteúdo sobre o que é balancete e como o setor automotivo pode usá-lo.

Crédito da imagem: senivpetro / Freepik.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.