O que é balancete e como o setor automotivo pode usá-lo? - Ultracar

O que é balancete e como o setor automotivo pode usá-lo?

Qualquer bom guia, ou manual, de administração sempre deixa claro que para ter controle interno e gerir adequadamente um negócio é fundamental ter boas informações em mãos. Dados precisos ajudam a tomar boas decisões e te deixam mais seguro sobre como agir em várias situações.

Dentre várias formas de conseguir dados para uma boa gestão de oficina, funilaria ou auto center está o balancete. Um documento versátil, prático e que pode ser aplicado a diferentes necessidades em sua rotina operacional.

O que é balancete?

O balancete é um documento demonstrativo que apresenta as finanças da empresa. Ele é comumente usado por contadores e empreendedores para entender como anda a saúde fiscal e financeira de um negócio.

Ele serve para analisar o estado financeiro de uma empresa (uma oficina mecânica, por exemplo), em um determinado período, levando em conta os ativos, passivos, contas de resultado e o patrimônio líquido do negócio.

Qual é a diferença entre balanço e balancete?

O balancete tem três características muito importantes:

  • ele faz o levantamento da situação da empresa no período escolhido (pode ser um dia, quinze dias, um mês, um trimestre etc.);
  • os dados do balancete podem ser alterados de acordo com o que está sendo analisado;
  • o balancete não é obrigatório, ele é apenas uma ferramenta de análise financeira.

O balanço patrimonial, por outro lado, é um relatório financeiro obrigatório que anualmente precisa ser elaborado pela empresa e entregue na declaração do Imposto de Renda para demonstrar sua posição contábil, financeira e econômica.

Logo, o balanço é um documento que não varia e sempre é referente ao período de um ano.

Qual é a diferença entre o balancete contábil e o gerencial?

Alguns autores e gestores gostam de fazer uma diferenciação entre balancete contábil e balancete gerencial. Contudo, o que muda é apenas a aplicação do balancete, uma vez que o documento é o mesmo.

A área contábil, que pode ser a contabilidade que sua oficina contratou, usa os dados do balancete para fazer o controle das entradas e saídas, validar dados e acompanhar as finanças do seu negócio — isso facilita, inclusive, para que eles emitam o DRE (Demonstração dos Resultados do Exercício) para você e façam o balanço patrimonial.

Já a utilização desse mesmo documento como suporte ao gerenciamento da oficina acontece de uma forma diferente. Com ele, você pode monitorar a evolução da receita e das despesas do seu negócio, o que permite que seja calculada a margem de lucro e se sua equipe está conseguindo alcançar a meta financeira estabelecida.

Assim, o balancete funciona, para você, gestor, como se fosse um acompanhamento constante de quão bem sua oficina, funilaria ou auto center está financeiramente e se as decisões que foram tomadas estão gerando resultados positivos, negativos ou neutros.

Como o balancete é feito?

O balancete é um documento dividido em três colunas:

  • saldo anterior (devedor e credor);
  • movimentos no período analisado (débitos e créditos);
  • saldo atual (devedor e credor).

Essas informações são levantadas para várias áreas da empresa, como:

  • caixa;
  • bancos;
  • mercadorias;
  • despesas administrativas;
  • contas a receber;
  • receitas de venda;
  • etc.

Para fazer o balancete você apenas precisa pegar as informações iniciais (saldo anterior) e colocá-las em uma coluna. Depois, basta selecionar o período a ser analisado e colocar as movimentações que aconteceram. Por fim, o saldo atual da sua oficina para cada um dos itens que estão sendo avaliados.

Como usar o balancete para melhorar o controle interno?

Como o balancete é uma ferramenta bastante flexível, você, gestor, pode utilizá-lo para acompanhar os números da sua oficina, funilaria ou autocenter. Para isso, primeiro é preciso criar um processo cíclico de avaliação.

Você deve definir a frequência que fará o levantamento (diário, semanal, mensal, trimestral, semestral ou anual). Feito isso, é só pegar os números, analisá-los e usar aquelas informações para orientar suas decisões.

Funciona mais ou menos assim:

O lucro está mais baixo do que o esperado?

Descubra o motivo! 

O balancete mostrou que o problema está na venda de peças?

Treine sua equipe para vender mais.

Qual é a importância desse documento para a gestão da oficina?

Mais do que apenas um demonstrativo financeiro ou uma ferramenta de segurança contábil, o balancete é um forte indicador que pode servir de parâmetro para cada ação que você, como gestor, toma na empresa. Tanto para acompanhar os resultados das suas decisões quanto para identificar problemas e os famosos “gargalos”.

Além do balancete existem outras estratégias que você pode usar para facilitar sua gestão. Quer conhecê-las? Então, leia nosso texto sobre 5 ferramentas para gestão da oficina que você precisa conhecer.

Crédito da imagem: Racool_studio / Freepik.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *