Aprenda a calcular a margem de lucro da oficina - Ultracar

Definindo a margem de lucro da oficina

Precificar produtos e serviços: esse é um tema que com certeza já deu dor de cabeça para muita gente. Se decidir o valor final de um produto já é complicado, imagina o de um serviço que precisa levar várias coisas em consideração.

Mas escolher sua margem de lucro e colocar um preço final nos trabalhos que você e sua equipe realizam, e nas peças que utilizam, não é lá esse bicho de sete cabeças. Em poucos passos você consegue determinar qual vai ser o valor que deve ser cobrado dos seus clientes.

Qual é a importância de definir a margem de lucro?

Em primeiro lugar temos que entender o que é a tal margem de lucro e porquê ela é tão importante.

Existem várias definições da área da Administração que podem ser aplicadas aqui, desde o entendimento dos tipos de custo do seu negócio (fixo, variável e total) até a margem de lucro líquido e bruta.

Em vez de entrarmos nesses conceitos, podemos usar uma definição um pouco mais direta e dizer o seguinte: o lucro é o valor que sobra para o seu negócio depois de pagar todos os custos do serviço ou do produto.

O lucro é importante porque ele é um dos indicadores que mostra o resultado do negócio. É justamente desse lucro que sai o dinheiro que você pode usar para investir ou complementar seu pró-labore (o “salário” do dono).

Que indicadores devo considerar na hora de compor os preços?

A parte mais complicada de fazer o cálculo da sua margem de lucro é mensurar os custos do seu negócio.
No caso dos produtos isso é até um pouco mais visível: é só pegar o preço do produto, o custo do transporte, as taxas, somar tudo e colocar um percentual de lucro em cima desse valor — bem prático, né?

Mas… e nos serviços? Mesmo que sua equipe use algumas peças para realizar os trabalhos, o preço delas não representa todos os seus gastos.

Alguns indicadores vão te ajudar a entender exatamente esse ponto. Eles facilitam o entendimento de quanto custa para seu negócio realizar cada um dos serviços. Veja quais são eles!

Tempo de reparação

O tempo de reparação é o tempo médio que sua equipe leva para realizar os reparos. Esse é um dos indicadores mais importantes para determinar o custo de um serviço, já que os outros indicadores que falaremos precisarão passar por ele.

Custo hora do aluguel

Saber o custo do seu aluguel por cada hora do dia ajuda a entender quanto o galpão custa para cada serviço que é realizado. Para saber o custo hora do aluguel é só dividir o valor que você paga mensalmente pelo número de horas trabalhadas.

Se sua oficina fica aberta 8 horas por dia de segunda a sexta e 6 horas no sábado, são 184 horas. Caso seu aluguel seja de R$ 2.500, a conta ficaria assim:

Custo hora do aluguel = 2.500 ÷ 184

Custo hora do aluguel = R$ 13,58

Custo hora dos funcionários

O curso hora dos funcionários segue a mesma lógica do aluguel. Você apenas precisa pegar o custo do funcionário (salários + encargos) e dividir pelo número de horas que ele trabalha no mesmo.

Considerando que seja uma pessoa que trabalha 40 horas semanais, são 160 horas por mês. Se o salário + encargos desse colaborador totalizarem R$ 3.500,00, o custo hora dele seria:

Custo hora do funcionário = 3.500 ÷ 160

Custo hora do funcionário = R$ 21,87

Média de manutenção de equipamento

Você também precisa fazer a manutenção nos seus equipamentos, certo? E isso tem um custo. Para entender qual custo é esse levante de quanto em quanto tempo a manutenção acontece e qual é a média de carros que você atende, com esse equipamento, no período.

Se o seu elevador precisa de manutenção a cada 60 dias, o custo da manutenção é R$ 500,00 e nesse período são atendidos, em média, 45 carros, a conta fica assim:

Média de manutenção de equipamento: 500 ÷ 45

Média de manutenção de equipamento: R$ 11,11

Qual é a margem de lucro ideal para funilaria, auto center e oficina?

Cada tipo de negócio precisa ter uma margem de lucro diferente. Afinal de contas, cada perfil de cliente espera uma coisa diferente de você.

Uma oficina focada em trabalhos menores, por exemplo, pode atrair mais público com uma margem de lucro menor, ganhando na escala (muitos serviços = alto lucro, mesmo com uma margem menor).

Um auto center, por outro lado, oferece um serviço mais completo e o perfil do cliente é outro. Como a tendência é que a equipe cuide de tudo no carro, a margem de lucro pode ser um pouco mais alta.

É claro que nos dois casos a lógica varia. Podemos pensar, por exemplo, que como na oficina de reparos menores o preço do serviço é menor, a margem de lucro mais alta não vai ser tão impactante quanto tirar um lucro de 20% em um serviço de mais de R$ 3.000.

O mesmo se aplica a funilarias: sua funilaria é especializada em algum processo especial ou mais eficiente? Então é possível cobrar um pouco mais. Seu foco é em reparos rápidos? Então a margem pode ser um pouco menor para ganhar na escala.

Não existe um número “mágico” para a margem de lucro. Você precisa pesquisar sua concorrência, ver mais ou menos quanto cobram pelo serviço, calcular o lucro deles e usar isso de base para definir a sua.

Quanto mais específico, especializado e diferenciado for seu serviço, maior pode ser sua margem. Se a sua proposta é fazer apenas “o básico” a margem precisa ser menor, se não o cliente vai procurar alguém que o ofereça “mimos” — se for o perfil do cliente, é claro.

Como fazer o cálculo da margem de lucro?

Agora chegamos ao grande ponto do texto: fazer o cálculo da margem de lucro. Aqui vamos dividir em dois: o cálculo da venda das peças e o cálculo dos serviços.

Para calcular o preço de repasse das peças aos seus clientes apenas pegue o custo total dela e multiplique pela margem que você quer. A fórmula fica assim: [preço da peça + (frete e impostos ÷ número de peças)] × margem de lucro

Vamos considerar uma compra de 100 peças, com frete e impostos no valor total de R$ 50,00 e preço por peça de R$ 40, com uma margem de lucro de 25%. A conta ficaria assim:

Preço final da peça = [40 + (50 ÷ 100)] × 1,25

Preço final da peça = [40 + 0,5] × 1,25

Preço final da peça = 40,5 × 1,25

Preço final da peça = R$ 50,62

Já no caso dos serviços você precisará acrescentar um elemento: o tempo de execução do serviço. Esse tempo de execução é o que vai permitir você saber quantas horas de funcionário e galpão serão gastos.

A fórmula fica assim: [(Custo hora dos funcionários × Tempo de reparação) + (Custo hora do aluguel × Tempo de reparação) + Preço final da peça + Média de manutenção dos equipamentos] × Margem de Lucro

Vamos considerar para esse cálculo os mesmos custos que falamos ao longo do texto nos exemplos, combinado? Em uma margem de lucro de 30% em um serviço que tem o tempo médio de reparação de 10 horas. O cálculo ficaria assim:

  • Custo hora dos funcionários: R$ 21,87;
  • Tempo de reparação: 10 horas;
  • Custo hora do aluguel: R$ 13,58;
  • Média da manutenção dos equipamentos: R$ 11,11;
  • Preço final da peça usada: R$ 50,62;
  • Margem de lucro 30% (1,3).

Preço final do serviço = [(21,87 × 10) + (13,58 × 10) + 50,62 + 11,11] × 1,3

Preço final do serviço = [218,70 + 135,80 + 50,62 + 11,11] × 1,3

Preço final do serviço = 416,23 × 1,3

Preço final do serviço = R$ 541,09

Gostou dessas dicas? Então agora vamos te dar uma dica de ouro: dá para juntar todos esses dados usando o papel e a caneta, mas com um sistema informatizado é muito mais fácil ter o controle de cada indicador que falamos.

Conheça nosso sistema e veja como seu negócio pode ser muito mais lucrativo!




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *