Curva ABC aplicada nas oficinas: o que você precisa saber? - Ultracar – Sistema de gestão completo para oficinas automotivas

Curva ABC aplicada nas oficinas: o que você precisa saber?

Existem várias maneiras de gerir o estoque da sua oficina e utilizar a administração e organização para impulsionar o lucro. Sendo gestor, é bem provável que você conheça, ou até mesmo use instintivamente, algumas dessas estratégias.

Por outro lado, uma gestão profissional é pautada em boas metodologias. Como essas metodologias já existem, porque não utilizá-las, não é mesmo? Por isso, dedicamos este texto para falar sobre a Curva ABC e como ela pode ajudar seu negócio.

O que é a Curva ABC?

Em poucas palavras, Curva ABC é um método de classificação de informações, usado para selecionar, de acordo com o grau de importância, produtos que uma empresa oferece para seus clientes.

Essa classificação é elaborada em categorias, sendo elas:

  • Categoria A: produtos com maior venda ou faturamento;
  • Categoria B: produtos de venda ou faturamento médio;
  • Categoria C: produtos de venda ou faturamento baixo.

A Curva ABC surgiu como uma ferramenta gerencial para organização e controle de estoque. A classificação de produtos na Curva ABC serve para facilitar a análise do negócio e melhorar a tomada de decisão do gestor.

Como definir cada categoria da Curva ABC?

A Curva ABC recebe esse nome porque ao colocar as informações em um gráfico ele formará uma curva. Para isso acontecer, essa metodologia propõe a seguinte distribuição de percentuais:

  • Categoria A: 20% dos produtos correspondem a 80% do estoque ou faturamento;
  • Categoria B: 30% dos produtos correspondem a 15% do estoque ou faturamento;
  • Categoria C: 50% dos produtos correspondem a 5% do estoque ou faturamento.

curva abc

Curva A

A Curva A é onde ficam os itens de maior importância para sua oficina. Para montá-la, separe os 20% de produtos que representam 80% de todas as vendas do negócio. 

Curva B

A Curva B, por sua vez, engloba os produtos intermediários, que juntos representam 15% do total de vendas ou faturamento. Na prática, a Curva B vai do final da Curva A e para antes do início da Curva C.

Curva C

Já a Curva C é aquela que representa os produtos de menor importância, que totalizam apenas 5% das vendas ou faturamento.

Como aplicar a Curva ABC na oficina?

Para aplicar a Curva ABC em sua oficina será necessário três etapas: levantamento, análise e planejamento.

Levantamento

Em um primeiro momento é necessário levantar as informações para compor a sua Curva ABC. Faça um levantamento para as peças que você vende. Quando terminar de catalogar todos os seus produtos nas Curvas A, B ou C, siga para a próxima etapa.

Análise

Com as curvas em mãos, comece a olhar para cada uma delas. Veja se os levantamentos vão ao encontro do seu plano de negócio ou se são contrários às estratégias que vinha adotando.

Além disso, já anote os insights, aquelas boas ideias, que vão aparecendo à medida que olha para sua tabela, gráfico ou o que quer que tenha usado para anotar o levantamento.

Planejamento

Após analisar todas as informações e ter sua Curva ABC bem desenhada, é hora de planejar as próximas ações.

Nesse caso, entra muito da sua expertise como gestor. Existem várias estratégias que poderiam ser usadas para reduzir custos, aumentar lucro ou melhorar o ticket médio do negócio. Daremos um exemplo para que você possa ter uma ideia do que estamos falando.

Aplicando a curva ABC em produtos

Para utilizar a Curva ABC em produtos você precisará pegar os dados do seu levantamento e identificar quais produtos são A, quais são B e quais são C.

Com esses dados, comece a estruturar seu estoque de acordo com a demanda dos clientes. Tenha mais estoque para as peças que são do grupo A, um pouco menos do grupo B e poucas do grupo C.

Desse modo, a maioria dos seus clientes conseguirá comprar as peças assim que tiverem a necessidade, o que ajuda no fluxo de caixa da oficina e mantém o estoque sempre girando.

É claro que também existem alguns pontos negativos nessa estratégia. O principal deles consiste no fato de que peças classificadas como C podem faltar na oficina, e isso deixará alguns clientes em espera até que o fornecedor realize a entrega — mas, claro, o impacto é menor que se faltassem peças do grupo A ou B, por exemplo.

Use a Curva ABC em sua oficina, mas com estratégia

A Curva ABC oferece uma série de vantagens para o empreendedor, que vão desde um melhor controle de estoque (mantendo um número maior de peças que geram mais vendas e reduzindo as que não vendem com tanta frequência) até uma boa definição de preços.

Sem contar toda a questão estratégica, que pode favorecer bastante a receita da sua oficina.

Para complementar sua leitura, leia nosso conteúdo sobre controle de estoque: como administrar as peças da sua oficina!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.