4 estratégias para separar a conta pessoal da conta empresarial - Ultracar

4 estratégias para separar a conta pessoal da conta empresarial

Na semana passada falamos, aqui em nosso blog, sobre os problemas que seu negócio poderia enfrentar se a conta pessoal e a conta empresarial não fossem separadas e geridas individualmente.

Seja uma funilaria, oficina ou auto center, o cuidado com a gestão financeira e contábil da sua empresa é um fator decisivo para o sucesso no mundo dos negócios. Os benefícios dessas boas práticas vão desde ter mais organização e controle nos processos internos, até mesmo aumentar o lucro no final do mês.

Por isso, separamos 4 estratégias que você pode adotar em seu negócio para separar, de uma vez por todas, sua conta pessoal da conta empresarial.

1. Abra um CNPJ para sua oficina

Se você ainda não fez o seu registro de Pessoa Jurídica, talvez essa seja a hora. O CNPJ oferece algumas vantagens para o seu negócio. Além de colocar na legalidade seu trabalho, ele ajuda a passar uma imagem de profissionalismo para seus clientes, fornecedores e instituições.

Isso, por sua vez, permite que você possa abrir contas empresariais nos bancos, consiga cartões de crédito e débito corporativos e tenha acesso a crédito facilitado com taxas de juros menores.

Dependendo do tamanho da sua empresa, você pode conseguir fazer seu cadastro de CNPJ como MEI (Microempreendedor Individual) e usar o regime tributário simplificado do Simples Nacional.

2. Use cartões de crédito e contas bancárias exclusivas

A falta de controle financeiro que acontece nas oficinas, funilarias e auto centers é causada, principalmente, pela falta de divisão entre o que é pessoal e o que é da empresa.

Logo, uma das melhores formas de contornar esse problema é deixando tudo bem separado. O cartão de crédito pessoal, por exemplo, deveria ser usado apenas para gastos pessoais e não para pagar algum fornecedor.

O mesmo vale para o cartão corporativo: ele não deveria ser usado para fazer o supermercado do mês, muito menos para pagar os momentos de lazer seus e da sua família.

Deixar uma conta, e um cartão, apenas para seu negócio e outra para sua vida pessoal faz com que essas situações não aconteçam com tanta frequência.

3. Defina um pró-labore

Quando temos um negócio temos a tendência a pensar que o dinheiro que está ali é nosso. Esse pensamento não está errado, mas ele não permite uma análise real da situação financeira da nossa empresa, além de atrapalhar a gestão.

É por isso que você, proprietário, precisa ter um salário. Ao definir um valor para receber mensalmente, a separação entre o dinheiro do seu negócio e o seu próprio dinheiro fica mais objetiva.

Esse salário, como é referente ao que o proprietário recebe, ganha um nome um pouco diferente. Ele é conhecido como “pró-labore” — que significa, literalmente, “pelo trabalho”.

Além da vantagem que falamos, a adoção do modelo de pró-labore tem outro ponto positivo: o lucro da empresa fica em destaque. Você sabe exatamente quanto sua empresa gera por mês, mesmo pagando os fornecedores, funcionários e seu próprio salário.

4. Calcule seu lucro e estabeleça dividendos

Com o pró-labore fazendo parte do cálculo dos custos da sua oficina, funilaria ou auto center, a gestão financeira fica um pouco menos complicada e o lucro pode ser calculado mensalmente sem grandes dificuldades.

Como você já conta com o seu salário nesse cálculo, o lucro da empresa é todo o dinheiro que sobra após pagar todas as contas e impostos. Esse capital é um recurso importante para o investimento em novas ferramentas, marketing, ou mesmo uma reforma no seu galpão.

Mas… se o lucro não faz parte do seu salário, significa que você não deveria mexer nesse dinheiro? Também não é assim.

Para retirar parte do lucro da sua empresa e colocar na sua conta pessoal, é preciso trabalhar com dividendos. Dividendo é uma parcela do lucro que você pode pegar de tempos em tempos.

O mais importante do dividendo é que ele é um valor percentual, o que significa que você só poderá ter acesso a ele se a empresa der lucro. Ele pode ser resgatado mensal, trimestral, semestral ou anualmente; fica a seu critério.

Gostou das informações deste texto, mas precisa de uma ajuda extra para cuidar das finanças da sua empresa? Faça o download do nosso plano de contas (temos um para oficinas e um para funilarias) e comece já essa mudança!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *